IPRB-SM
Biblia Sagrada Versículo do dia: Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. João 3:16

Quem é o povo de Deus?

Por Vida em Cristo

"Mas vós sois...a geração eleita..." - I Pedro 2.9. 

Nesses dias tão conturbados, onde estamos vivendo tempos angustiosos de incredulidade, e que os homens tem se ajuntado como povo de Deus em várias denominações. Dias em que os ditos cristãos têm comichões nos ouvidos para ouvir coisas agradáveis, e por isso tem ajuntado para si mestres segundo os seus desejos (II Timóteo 4.3-4). Dias  de apostasia da fé onde o ensino de demônios tem espalhado como gangrena, mas que não é novidade porque estão previstas pela Palavra. Diante de tudo isto, perguntamos: - Quem é o povo de Deus?

Jesus disse em Mateus 11.12: "E desde os dias de João, o Batista, até agora, o reino dos céus é tomado a força, e os violentos o tomam de assalto". Tomar o reino dos céus de assalto é um absurdo, mas muitos tentam fazê-lo, achando que simplesmente dizer para Jesus: Senhor, Senhor, ou aceitá-lo como seu salvador, e participar de uma denominação, ou mesmo fazer milagres no seu nome é suficiente. Sobre isto Jesus diz: "Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade" Mateus 7.21-23./

Ninguém toma o reino dos céus de assalto, porque isso não depende da força do homem, nem da sua capacidade, mas do poder de um Deus Soberano: "Porque, não tendo eles ainda nascido, nem tendo feito bem ou mal (para que o propósito de Deus, segundo a eleição, ficasse firme, não por causa das obras, mas por aquele que chama), foi-lhe dito a ela: O maior servirá o menor. Como está escrito: Amei a Jacó, e odiei a Esaú. Que diremos pois? que há injustiça da parte de Deus? De maneira nenhuma. Pois diz a Moisés: Compadecer-me-ei de quem me compadecer, e terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia. Assim, pois, isto não depende do que quer, nem do que corre, mas de Deus, que se compadece. Porque diz a Escritura a Faraó: Para isto mesmo te levantei; para em ti mostrar o meu poder, e para que o meu nome seja anunciado em toda a terra. Logo, pois, compadece-se de quem quer, e endurece a quem quer. Dir-me-ás então: Por que se queixa ele ainda? Porquanto, quem tem resistido à sua vontade? Mas, ó homem, quem és tu, que a Deus replicas? Porventura a coisa formada dirá ao que a formou: Por que me fizeste assim? Ou não tem o oleiro poder sobre o barro, para da mesma massa fazer um vaso para honra e outro para desonra? E que direis se Deus, querendo mostrar a sua ira, e dar a conhecer o seu poder, suportou com muita paciência os vasos da ira, preparados para a perdição; para que também desse a conhecer as riquezas da sua glória nos vasos de misericórdia, que para glória já dantes preparou, os quais somos nós, a quem também chamou, não só dentre os judeus, mas também dentre os gentios?" Romanos 9.11-24.

O povo de Deus é uma geração eleita. Podemos ser membro de qualquer igreja, mas ninguém pode intitular-se um membro do povo de Deus se não for um eleito, porque a nossa eleição é de Deus: "Sabendo, amados irmãos, que a vossa eleição é de Deus" I Tessalonicenses 1.4.  Essa eleição, ou escolha de Deus é para um propósito bendito, separar um povo santo e irrepreensível, que viva diante dEle: "Como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor; e nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade" Efésios 1.4.

Deus escolheu a princípio a nação de Israel, para anunciar as suas grandezas em toda a terra: "Porque povo santo és ao SENHOR teu Deus; o SENHOR teu Deus te escolheu, para que lhe fosses o seu povo especial, de todos os povos que há sobre a terra. O SENHOR não tomou prazer em vós, nem vos escolheu, porque a vossa multidão era mais do que a de todos os outros povos, pois vós éreis menos em número do que todos os povos. Mas, porque o SENHOR vos amava..." Deuteronômio 7.6-8. A nação de Israel desprezou esse chamamento de Deus. Hoje, nós os que cremos, somos o Israel de Deus. Somos a sua geração eleita, para que anunciemos as grandezas daquele que nos tirou das trevas para a sua maravilhosa luz: "Porque não é judeu o que o é exteriormente, nem é circuncisão a que o é exteriormente na carne. Mas é judeu o que o é no interior, e circuncisão a que é do coração, no espírito, não na letra; cujo louvor não provém dos homens, mas de Deus" Romanos 2.28-29.

Este anuncio do evangelho é feito com o propósito de promover a fé, e de congregar os seus eleitos: "Paulo, servo de Deus, e apóstolo de Jesus Cristo, segundo a fé dos eleitos de Deus, e o conhecimento da verdade, que é segundo a piedade, em esperança da vida eterna, a qual Deus, que não pode mentir, prometeu antes dos tempos dos séculos; mas a seu tempo manifestou a sua palavra pela pregação que me foi confiada segundo o mandamento de Deus, nosso Salvador" Tito 1.1-3. "E os gentios, ouvindo isto, alegraram-se, e glorificavam a palavra do Senhor; e creram todos quantos estavam ordenados para a vida eterna" Atos 13.48.

"Mas vós sois...o sacerdócio real..."

O povo de Deus não é formado de simples membros de igrejas, mas de sacerdotes reais. Qualquer pessoa pode ser feito membro de uma denominação, uma espectadora, mas jamais se intitular um sacerdote real. Somente os membros da Universal Assembléia o são: "Mas chegastes ao monte Sião, e à cidade do Deus vivo, à Jerusalém celestial, e aos muitos milhares de anjos; à universal assembléia e igreja dos primogênitos, que estão inscritos nos céus, e a Deus, o juiz de todos, e aos espíritos dos justos aperfeiçoados" Hebreus 12.22-23.

Na genealogia de Jesus, apresentada em Mateus 01 do verso 01 a 17, mostra no verso 17 que desde a deportação da Babilônia até o Cristo são quatorze gerações: "De sorte que todas as gerações, desde Abraão até Davi, são catorze gerações; e desde Davi até a deportação para a Babilônia, catorze gerações; e desde a deportação para a Babilônia até Cristo, catorze gerações". Se contarmos a partir da deportação da Babilônia, você encontrará treze gerações e não catorze como diz o texto. Será que o Espírito Santo quando inspirou Mateus errou?

O verso 16 nos ensina que Ele nunca erra: "E Jacó gerou a José, marido de Maria, da qual nasceu JESUS, que se chama o Cristo". Jesus é a décima terceira geração e Jesus o Cristo a décima quarta. Jesus naquela cruz se tornou o último Adão, porque fomos incluídos no seu corpo naquela cruz. Quando Deus deu vida a Jesus na ressurreição, lhe deu um nome que está acima de todo nome: Jesus Cristo. Deus em sua misericórdia nos deu vida juntamente com Ele (Efésios 1.4-5). Jesus se tornou o primogênito dessa nova geração, uma geração eleita por Deus. Nós fomos feitos filhos de Deus, sendo filhos da ressurreição: "Porque já não podem mais morrer; pois são iguais aos anjos, e são filhos de Deus, sendo filhos da ressurreição" Lucas 20.36.

Como Jesus Cristo é Sacerdote e Rei, nós que fomos feitos à Sua imagem (Romanos 8.29), somos agora em Cristo, sacerdotes reais, a fim de ministrarmos as coisas espirituais a Deus: "Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo" I Pedro 2.5. "Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina; no qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para templo santo no Senhor. No qual também vós juntamente sois edificados para morada de Deus em Espírito" Efésios 2.20-22.

Deus em Malaquias 2.7 nos mostra o perfil do sacerdote: "Porque os lábios do sacerdote devem guardar o conhecimento, e da sua boca devem os homens buscar a lei porque ele é o mensageiro do SENHOR dos Exércitos". Qualquer  homem pode ser tomado pelo povo como sacerdote para ministrar as coisas concernentes aos homens (Hebreus 5.1-3), mas um sacerdote real, que ministra sacrifícios espirituais a Deus, só é possível ser aceito por Deus, se estiver em Cristo: "Vos aperfeiçoe em toda a boa obra, para fazerdes a sua vontade, operando em vós o que perante ele é agradável por Cristo Jesus, ao qual seja glória para todo o sempre" Hebreus 13.21.

Na figura do tabernáculo, somente o sacerdote podia entrar no santo lugar e ministrar no altar. Agora, como sacerdotes reais, e no verdadeiro tabernáculo, não feito por mãos humanas; o seu povo ministra o verdadeiro altar: "Temos um altar, de que não têm direito de comer os que servem ao tabernáculo. Porque os corpos dos animais, cujo sangue é, pelo pecado, trazido pelo sumo sacerdote para o santuário, são queimados fora do arraial. E por isso também Jesus, para santificar o povo pelo seu próprio sangue, padeceu fora da porta. Saiamos, pois, a ele fora do arraial, levando o seu vitupério" Hebreus 13.10-13.

Ninguém está apto para oferecer tais sacrifícios a Deus, somente o seu povo, os seus sacerdotes reais. Esse ministério é o sacerdócio de Cristo, que não tem princípio nem fim, e é segundo a Ordem de Melquisedeque (Hebreus 6 e 7). Nesse sacerdócio não se pode entrar por aclamação, nem fazendo um seminário, somente por escolha do Senhor: "Pois quê? O que Israel buscava não o alcançou; mas os eleitos o alcançaram, e os outros foram endurecidos. Como está escrito: Deus lhes deu espírito de profundo sono, olhos para não verem, e ouvidos para não ouvirem, até ao dia de hoje" Romanos 11.7-8.

Portanto, somente um homem ou mulher, judeu ou grego, escravo ou livre que morreu e ressuscitou juntamente com Cristo, portanto, está em Cristo, é um sacerdote real. Deus nos fez seus sacerdotes reais, para que lhe ministremos as coisas espirituais e anunciemos as grandezas daquele que nos tirou das trevas para a sua maravilhosa luz. Nós, que em outro tempo não éramos povo, mas agora somos povo de Deus; que não tínhamos alcançado misericórdia, mas agora alcançamos misericórdia.

"Mas vós sois...a nação santa..."

O povo de Deus não são aqueles que tomam o nome de cristãos e colocam um nome em suas igrejas. Nem são aqueles que têm uma aparência de piedade. E muito menos uma congregação de pecadores. O povo de Deus é uma nação santa. Tudo o resto é chamado por Deus de Casa de salteadores: "Eis que vós confiais em palavras falsas, que para nada vos aproveitam. Porventura furtareis, e matareis, e adulterareis, e jurareis falsamente, e queimareis incenso a Baal, e andareis após outros deuses que não conhecestes, e então vireis, e vos poreis diante de mim nesta casa, que se chama pelo meu nome, e direis: Fomos libertados para fazermos todas estas abominações? É pois esta casa, que se chama pelo meu nome, uma caverna de salteadores aos vossos olhos? Eis que eu, eu mesmo, vi isto, diz o SENHOR" Jeremias 7.8-11. 

Ser santo não é ser extraordinário, ou perfeito. Ser santo é ser separado por Deus para viver para Ele e crescer nessa separação, até que estejamos inteiramente separados no corpo, na alma e no espírito: "E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso SENHOR Jesus Cristo. Fiel é o que vos chama, o qual também o fará" I Tessalonicenses 4.23-24. "Quem é injusto, faça injustiça ainda; e quem está sujo, suje-se ainda; e quem é justo, faça justiça ainda; e quem é santo, seja santificado ainda" Apocalipse 22.11.

Deus não queria apenas indivíduos santos, mas uma nação que fosse santa. Para isso a princípio, chamou a nação de Israel quando disse: "Agora, pois, se diligentemente ouvirdes a minha voz e guardardes a minha aliança, então sereis a minha propriedade peculiar dentre todos os povos, porque toda a terra é minha. E vós me sereis um reino sacerdotal e o povo santo. Estas são as palavras que falarás aos filhos de Israel" Êxodo 19.5-6; mas eles invalidaram esse pacto. Deus queria que esse povo fosse santo, separado por Deus para ser exclusivamente seu: "E ser-me-eis santos, porque eu, o SENHOR, sou santo, e vos separei dos povos, para serdes meus" Levítico 20.26.

Como vimos anteriormente, nós os que cremos, somos o Israel de Deus, a sua nação santa, um povo separado por Deus para que vivamos para Ele. Antes éramos pecadores e inimigos de Deus:  "A vós também, que noutro tempo éreis estranhos, e inimigos no entendimento pelas vossas obras más..." Colossenses 1.21, mas Ele nos reconciliou consigo mesmo, e nos santificou pela oferta do corpo de Jesus Cristo, feita uma vez para sempre (Hebreus 10.10), para nos apresentamos perante Ele santos: "...agora contudo vos reconciliou. No corpo da sua carne, pela morte, para perante ele vos apresentar santos, e irrepreensíveis, e inculpáveis" Colossenses 1.21.

Ele fez morrer a nós pecadores no corpo de Cristo e nos justificou (Romanos 6.7), e nos santificou para Ele: "Assim, meus irmãos, também vós estais mortos para a lei pelo corpo de Cristo, para que sejais de outro, daquele que ressuscitou dentre os mortos, a fim de que demos fruto para Deus" Romanos 7.4. Ser feito um santo e ser santificado é obra exclusiva de um Deus Santo (I Pedro 1.16 e Levítico 20.8). Ele é o Deus que nos santificou em Cristo, e agora nos santifica para que vivamos totalmente para Ele: "Porque o amor de Cristo nos constrange, julgando nós assim: que, se um morreu por todos, logo todos morreram. E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou" II Coríntios 5.14-15.

Rejeitar isso não é rejeitar ao homem, mas a Deus que nos deu o Espírito Santo: "Porque esta é a vontade de Deus, a vossa santificação; que vos abstenhais da prostituição; que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santificação e honra; ...Porque não nos chamou Deus para a imundícia, mas para a santificação. Portanto, quem despreza isto não despreza ao homem, mas sim a Deus, que nos deu também o seu Espírito Santo" I Tessalonicenses 4.3-8.

Somos a sua nação santa, um povo totalmente separado para Ele, para que anunciemos as grandezas daquele que nos tirou das trevas para a sua maravilhosa luz. Nós, que em outro tempo não éramos povo, mas agora somos povo de Deus; que não tínhamos alcançado misericórdia, mas agora alcançamos misericórdia.

"Mas vós sois...o povo adquirido..."

O seu povo não é formado de pessoas que simplesmente por um ato de desespero aceitou a Jesus. Nem mesmo porque foi batizado nas águas. Muito menos porque tem um título de pastor ou líder religioso. O povo de Deus é um povo comprado e lavado com o seu sangue: "Bem-aventurados aqueles que lavam as suas vestes [no sangue do Cordeiro] para que tenham direito à arvore da vida, e possam entrar na cidade pelas portas" Apocalipse 22.14.

Nós não éramos de Deus, porque quem comete o pecado é do Diabo (I João 3.8). Estávamos sob o império da morte, mas Jesus veio nos tirar desse império: "E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que pela morte aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo; e livrasse todos os que, com medo da morte, estavam por toda a vida sujeitos à servidão" Hebreus 2.14-15. "Dando graças ao Pai que nos fez idôneos para participar da herança dos santos na luz; o qual nos tirou da potestade das trevas, e nos transportou para o reino do Filho do seu amor" Colossenses 1.12-13.

Estávamos sob o império da morte e éramos escravos do pecado: "Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é servo do pecado" João 8.34. "Não sabeis vós que a quem vos apresentardes por servos para lhe obedecer, sois servos daquele a quem obedeceis, ou do pecado para a morte, ou da obediência para a justiça?" Romanos 6.16. Éramos escravos do pecado, estávamos mortos e éramos por natureza filhos da ira: "E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados, em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência. Entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também" Efésios 2.1-3.

Estávamos mortos em delitos e pecados; estávamos sob o império da morte e éramos escravos do pecado, mas Jesus nos adquiriu, nos comprou para Deus com o seu sangue: "E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro, e de abrir os seus selos; porque foste morto, e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda a tribo, e língua, e povo, e nação" Apocalipse 5.9. Fomos comprados para Deus e agora somos dEle; um povo adquirido por um grande preço, pelo sangue de Jesus: "Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado" I Pedro 1.18-19.

Nós somos o povo adquirido para glorificá-lo: "Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus" I Coríntios 6.20. Somos dEle, somente dEle, e nunca mais para sermos escravos de ninguém: "Porque o que é chamado pelo Senhor, sendo servo, é liberto do Senhor; e da mesma maneira também o que é chamado sendo livre, servo é de Cristo. Fostes comprados por bom preço; não vos façais servos dos homens" I Coríntios 7.22.23. Cristo nos libertou, não necessitamos mais ficar escravos da religião e de homens: "Estai, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a colocar-vos debaixo do jugo da servidão" Gálatas 5.1.

Somos um povo adquirido, um povo seu, especial, remido de toda a iniqüidade, zeloso de boas obras, e para publicar o seu louvor: "O qual se deu a si mesmo por nós para nos remir de toda a iniqüidade, e purificar para si um povo seu especial, zeloso de boas obras" Tito 2.14. "...esse povo que formei para mim, para que publicasse o meu louvor" Isaías 43.21. Somos o seu povo adquirido, para anunciar as grandezas daquele que nos tirou das trevas para a sua maravilhosa luz. Nós, que em outro tempo não éramos povo, mas agora somos povo de Deus; que não tínhamos alcançado misericórdia, mas agora alcançamos misericórdia.

"...para anunciar as grandezas,

daquele que nos tirou das trevas

para a sua maravilhosa luz".

I Pedro 2.9.

O povo de Deus não necessita de um templo, nem de um nome, nem de um pastor para anunciar o evangelho. O povo de Deus é luz onde estiver. Cada membro desse povo pode manifestar as suas obras de fé em qualquer lugar: seja no trabalho, em casa, numa fila de banco e etc. Jesus não disse vinde a igreja para ouvir o evangelho, mas "Ide e pregai o evangelho a toda criatura". Onde um filho de Deus adquirido, santo, sacerdote real estiver, ele se torna um anunciador das boas novas: "LEVANTA-TE, resplandece, porque vem a tua luz, e a glória do SENHOR vai nascendo sobre ti; porque eis que as trevas cobriram a terra, e a escuridão os povos; mas sobre ti o SENHOR virá surgindo, e a sua glória se verá sobre ti" Isaías 60.1-2.

Davi no Salmo 62, no verso 11 disse pelo Espírito: "Uma vez falou Deus, duas vezes tenho ouvido isto; que o poder pertence a Deus. A ti também, Senhor, pertence a benignidade...". Nós nascemos numa geração corrupta e perversa como disse Jesus, e precisávamos ser salvos dela (Mateus 16.4 e Atos 2.40). Deus pelo seu poder, nos gerou de novo para uma viva esperança, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos (I Pedro 1.3). Uma geração escolhida por Deus; eleição essa que foi feita antes da fundação do mundo (Efésios 1.4).

Deus nos elegeu, nos chamou, nos justificou e nos glorificou em Cristo: "E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito. Porque os que dantes conheceu também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos. E aos que predestinou a estes também chamou; e aos que chamou a estes também justificou; e aos que justificou a estes também glorificou" Romanos 8.28-30.

Pelo seu poder, Ele nos tirou dum charco de lodo, dum poço de perdição e colocou os nossos pés na rocha, na rocha eterna (Salmos 40.2); Ele nos colocou nos lugares celestiais em Cristo: "Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos), e nos ressuscitou juntamente com ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus" Efésios 2.5-6. Ele nos fez sacerdotes reais, sacerdotes chamados para ministrar na Sua Presença, no santíssimo lugar: "Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no santíssimo lugar, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne, e tendo um grande sacerdote sobre a casa de Deus, cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé, tendo os corações purificados da má consciência, e o corpo lavado com água limpa, retenhamos firmes a confissão da nossa esperança; porque fiel é o que prometeu" Hebreus 10.19-23.

Pelo seu poder nos incluiu em Cristo, nós os imundos e pecadores. Justificou-nos pela morte, e nos gerou como Seus filhos, quando ressuscitou a Jesus e o declarou Filho de Deus em poder (Romanos 1.4), porque Ele é o autor na nossa salvação (Hebreus 2.10). Somos agora uma nação santa, um povo seu. Ele que é poderoso, nos fez santos e agora nos apresenta ante a Sua Glória sem mácula, sem mancha, incontaminado e com grande alegria: "Ora, àquele que é poderoso para vos guardar de tropeçar, e apresentar-vos ante a sua glória imaculados e jubilosos..." Judas 1.24.

Pelo seu poder Ele nos comprou para Ele, nos adquiriu a preço de sangue, um sangue precioso: "Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado, o qual, na verdade, em outro tempo foi conhecido, ainda antes da fundação do mundo, mas manifestado nestes últimos tempos por amor de vós; e por ele credes em Deus, que o ressuscitou dentre os mortos, e lhe deu glória, para que a vossa fé e esperança estivessem em Deus" I Pedro 1.18-21.

Se você crê no seu nome, e goza desse poder grandioso. Crê que morreu e ressuscitou juntamente com Ele naquela cruz, portanto, Cristo é a Sua Vida. Se você crê que seu escrito de dívida foi riscado e cravado na cruz. Se ele te fez membro dessa geração eleita, e de uma nação santa. Te fez um sacerdote real, e agora você vive inteiramente para Ele, e não mais como escravo do pecado, não se preocupe com genealogias intermináveis, com fábulas, com doutrinas várias e estranhas. Isto nunca trouxe proveito algum aos que com eles se envolveram (Hebreus 13.7).

Antes cresça na graça e no conhecimento de Jesus Cristo que é a Sua Vida, e anuncie com grande alegria essas grandezas, fale desse Deus grandioso; dê o testemunho daquele que te tirou das trevas para a sua maravilhosa luz, e proclame em alta voz: "Ao único Deus sábio, Salvador nosso, seja glória e majestade, domínio e poder, agora, e para todo o sempre. Amém" Judas 1.25.

A Palavra da cruz é loucura para os que perecem, mas para nós que somos salvos é o poder de Deus. Essa Palavra nos salvou e ela é o testemunho de Deus. Deus deu a nós, seu povo, a graça de anunciar o seu evangelho. Somente aqueles que nasceram do Espírito tem autoridade para fazê-lo: "E eu, irmãos, quando fui ter convosco, anunciando-vos o testemunho de Deus, não fui com sublimidade de palavras ou de sabedoria. Porque nada me propus saber entre vós, senão a Jesus Cristo, e este crucificado" I Coríntios 2.1-2. O tempo do apóstolo Paulo já encerrou. Agora é o nosso tempo de anunciar, daqueles que são testemunhas dessas coisas.

Mediante tudo isto, exaltemos juntos ao nosso Deus com a Sua Palavra que diz: "Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos! Porque, quem compreendeu a mente do Senhor? ou quem foi seu conselheiro? Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado? Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém" Romanos 11.33-36.

Igreja Presbiteriana Renovada do Brasil - São Miguel Paulista

By designervirtual.com.br